sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Post temático: Casamento



O tema desta semana foi casamento e eu fiquei muuuito feliz com isso. Tá bem, eu sei que estas palavras não foram exatamente feministas... rs! Mas a real é que a coisa do casamento tem me feito pensar muito ultimamente e sonhar também. Porque isso é uma coisa que eu e Potô queremos realizar e estamos só aguardando o belo dia em receberemos o piso salarial dos jornalistas, que apesar de não ser enorme corresponde a uma renda considerável para nós dois.

Mas por que eu fiz a piadinha sobre não ser muito feminista logo no início? Porque o casamento foi historicamente construído para aprisionar as mulheres e subjugá-las aos homens. Além disso é imposto para nós como um objetivo de vida desde o início. Sempre nos é colocado como o destino desejado e sempre fomos treinadas para formarmos uma família (hétero) e cumprir nossos sagrados deveres de esposa e mãe. Daí a razão de os brinquedos de menina serem bonecas e utensílios de cozinha, percebe? Apesar de para quem tem uma discussão mínima sobre relações de gênero isso ser óbvio, para a maioria das mulheres não é, principalmente para as crianças que têm esses valores cultivados desde muito cedo.

E hoje eu paro pra pensar na maneira como a minha família age e agia pelo fato de eu ser atrapalhada na cozinha. Eles dizem que meu marido é quem fará as coisas PARA MIM (só eu como e uso roupa limpa?), que minha casa será suja, que a gente só vai comer miojo, etc. Isso porque se a mulher não se enquadra nesse padrão ela é considerada anormal. Sem falar em como as obrigações domésticas são ditadas para as mulheres através de expressões como: "ele te AJUDA em casa?" Assim como o trabalho voltado para o sustento é dito como obrigação do homem, como quando se fala nas relações no campo: "Ela me AJUDA na roça". Porque quando a gente faz algo que não é nossa obrigação, se trata de uma ajuda, um favor.


Mas o pior mesmo é ver mulher ganhando panela como presente de aniversário ou ainda no 08 de março. Artigos assim não são visto como algo de uso comum e sim das mulheres. Tem até alguns homens que eu conheço que acham que não são machistas e que isso tudo é nóia da minha cabeça. Deixa chegar o aniversário deles que eu dou um conjunto de panos de prato pra ver se eles não estranham.


Mas enfim, se isso tudo é tão horrível porque esta feminista quer casar? Porque eu amo uma pessoa nhenda, que me respeita não quer mandar em mim ou me controlar. Além disso respeita minhas idéias e até concorda com um monte delas, mesmo elas contestando um privilégio que a criatura teoricamente tem desde antes do próprio nascimento. Até um dia desses se dizia feminista, mas aí voltou atrás quando soube que várias feministas não concordam que homens possam ser também. Aliás, ele está me devendo um post sobre isso há séculos.


E eu tive a imensa sorte de encontrar e amar alguém assim. O meu amor é um amigo e companheiro antes de tudo e juntos construímos uma relação igualitária e muito gostosa. E ficar longe um do outro nem que seja só por uma noite representa uma tortura muito grande e é por isso que queremos juntar nossas vidas no mesmo teto.


O desenho de hoje fala um pouco disso. Quis representar Potô e eu disputando uma partida de futebol na nossa casa no nosso maravilhoso sofá vermelho que nos aguarda em algum lugar por aí. Aliás, esse cenário também já foi usado numa tela que pintei há alguns meses atrás. Reparem que ainda estamos usando as roupas do casório, então é como se tivéssemos acabado de chegar da cerimônia. Ou seja, é a parte desenhável e publicável da lua-de-mel. E eu sempre penso no quanto será divertido o meu casamento com o Potô. Também penso em tudo o que vamos ter que enfrentar, claro, mas sei que vamos trabalhar juntos para superar.


O casamento para mim precisa ser antes de tudo uma opção, não algo feito simplesmente porque tem que acontecer de qualquer jeito. E precisa ser uma relação de igualdade e amizade apesar de toda relação ser uma disputa de poder.


E eu estou doida pra casar!

E o vestido não será exatamente igual ao do desenho porque vai ser surpresa. Mas eu já fiz o modelo!
E eu quero que gays e lésbicas tenham direito ao casamento!

E eu acho que tô a cara do Michael Jackson no desenho.
E em breve eu coloco os links dos outros participantes. Quem escolhe o próximo tema?


**Atualizando (4 de dezembro):

Até o momento nem todos os outros participantes atualizaram o post temático, apenas a Michele, então ponho os links dos respectivos blogs. Ai gente, atualiza aí que eu tô doida para ver as artes de vocês!

Cintia
Guto
Juliana
Michele

E como sou eu quem escolhe o tema (Cíntia me avisou), então eu sugiro DINHEIRO. Até sexta-feira!

6 comentários:

Cintia Yamane disse...

hahahaha.. ganhar panela de presente é fogo hein...
embora, quando eu tinha pedido pro meu namorado um forninho de presente de aniversário.. hahaha.. e acho que foi o melhor presente que ganhei... bom, pq la na minha casa não tem fogão nem microondas XD

ixe.. eu amo cozinhar, mas serviço de casa, lavar banheiro, limpar a casa, eu odeeeioooo... tanto quanto odeio palhaço

Cintia Yamane disse...

o tema da próxima semana é vc quem escolhe!!! assim que definir, da um alo pra eu atualizar o menu e colocar o proximo tema!!

bjs

Lídia Rodrigues disse...

Amiga... o casamento pode ser algo conservador, fixo nos padrões da monogamia e patriarcado... mas não podemos permitir que o nosso feminismo engesse nossos sentimentos, afinal tudo q somos de certa dorma é construto dessa merda de contexto que estamos inseridas, mas as vezes viver a estabilidade e a troca cotidiana é a melhor coisa do mundo...

Sheryda Lopes disse...

Pois é Cíntia, mas foi vc quem pediu, é diferente. Eu tb quando for me casar vou pedir esses artigos caso alguém queira me dar algo de aniversário. E acho que o Potô tb. O ruim é quando é naturalizado, sabe? Vc acredita que na escola em que um amigo meu trabalha como professor o presente de dia da mulher para as mães dos alunos foi pano de prato? Juro!


Lídia, vc é muito linda e eu concordo com vc. Tô doida por essas trocas do cotidiano, mulher!! E quero muito te visitar em breve! Muitas felicidades!

Guto de Oliveira disse...

Ótima ilustração sher, acho o casamento conservador, mas ao mesmo tempo uma provação, valorizo muito este conceito e acho bonito duas pessoas preparadas para esse desafio(no bom sentido) :) t+

Princesa disse...

Eu acho que casamento é uma coisa que a gente pode ressignificar.Foi criado para aprisionar a mulher,mas a gente pode transofrmar em uma parceria igualitária.É mais ou menos como a maquiagem,que tem por objetivo principal deixar as mulheres atraentes para os homens,mas muitas usam como forma de expressão pessoal.