terça-feira, 22 de setembro de 2009

Post de moda: como uma jornalista deve se vestir?



Semana passada terminei a primeira parte no meu estágio na TV. Foi a parte de produção, onde fiquei um mês, e gostei muito. O previsto era que eu continuasse mais dois meses, um como repórter de rua (oba!oba!) e outro na edição. Mas como a redação está lotada de estagiários e eu já cumpri minha carga horária da disciplina de estágio supervisionado, então a diretora de jornalismo disse que eu não poderia ficar mais dois meses. Na verdade, era para eu já ter acabado na semana passada, mas dei uma choradinha e vou ainda ficar duas semanas, uma na rua e outra na edição. O bom é que logo terei mais tempo para a monografia.

Confesso que fiquei um pouco insegura, pensando: “ Será que foi por isso mesmo (lotação) ou fiz alguma besteira e o povo agora quer me ver longe?”. Bom, acho que não foi algo que fiz de errado, até porque durante o mês passado ficava pedindo feed backs ao chefenho de reportagem (ah, e hoje é niver dele! Parabéns, chefenho!), e parecia que tudo ia bem. Então é melhor eu relaxar.

Sobre a rua, comecei ontem. Noooossa, como é cansativo! Muita correria, trânsito na hora de ir de uma pauta para outra... Bastante estressante. Mas ao mesmo tempo é tão, tão legal! Sem falar no contato com a equipe, que eu acho uma delícia. Cinegrafista, assistente, a repórter e o motorista, todos uns amores. E eu lá, acabando com a imagem da classe estagiária...

É que ontem eu achava que não ia gravar nada, então fui com uma blusinha simples, regata, até mesmo pensando no calor. E a primeira coisa que a repórter diz quando me vê é: “ESTAGIÁRIO COMIGO GRAVA PASSAGEM E ISSO NÃO É BLUSA DE GRAVAR PASSAGEM!!!” Para quem não conhece os jargões (expressões) jornalísticos, passagem é quando o repórter diz as informações num local, quando ele aparece. Off, é o texto do repórter com outras imagens cobrindo, entende?

Mas voltando ao meu traje não-apropriado-para-a-função, eu disse que não sabia que já ia gravar algo, por isso tinha ido mais simples. Mas aí ela e o chefenho me esclareceram que a gente tem que estar sempre preparado. Ok, lição anotada.

E adivinha qual era a primeira pauta-da-minha-vida-como-repórter(estagiária)-de-rua? A inauguração da sede do Programa Ronda do Quarteirão! E adivinha quem seria um dos entrevistados? O governador Cid Gomes! Muito beeem, Sheryda! Porque você não foi logo de chinelo?

Confesso que fiquei muito constrangida naquela cerimônia cheia de homens sérios, usando terno e gravata e mulheres ornadas de jóias, e tal, e tal. E eu com minha blusinha lilás com estampa psicodélica. Mas o episódio serviu de lição e acabamos nem podendo esperar para entrevistar o governador, pois tínhamos outras pautas urgentes e estávamos atrasadas. E ele só iria conversar com os jornalistas depois da cerimônia.

Aí que eu senti (na verdade, já tinha notado) que eu tenho que comprar umas roupas um pouco mais formais para mim, tipo terninhos e tal. Mas a verdade é que eu detesto usar essas roupas porque geralmente são quentes e desconfortáveis (embora eu fique lindinha nesses modelitos). Além do mais, esse tipo de roupa é meio cara, pelo menos mais caras que as sainhas de feira que eu tanto gosto. Calça comprida, então, eu detesto. Esquenta muito e uma vez um ginecologista me disse que elas fazem muito mal para a saúde feminina. Acho que desde então simplesmente parei de comprar calças e investi em milhões de sainhas de feira, todas com o mesmo modelo.

E veja bem a diferença de preços: enquanto váárias roupas minhas foram compradas na praça da Sé, feiras de artesanato e no Beco da Poeira (que eu adoro, mas não vou lá há anos por falata de tempo), custando uns 7 reais a peça, uma blusinha mais ou menos formal, de gola-pólo por exemplo sai tipo uns quinze ou vinte. E sim, eu acho caro dar vinte reais numa blusa, afinal eu poderia levar pelo menos duas ou três peças pelo mesmo valor! E acredite, para uma estagiária que recebe uma bolsa-auxílio que mal dá para as despesas de transporte, livros, Xerox, comida, diversão e arte, 13 reais podem fazer toda a diferença. E tem também o fato de que todo ano tem que trocar as lentes dos óculos, e pelo menos a cada três anos, a armação, que é mais cara ainda.

Tudo é dinheiro e não gosto de pedir a ajuda aos pais. Sem falar que para mim, roupa não é tanta prioridade, prefiro gastar com livros, cinema ou mesmo uma ida ao sushi com o meu nêgo. Mas confesso que adoro bolsas, de preferência artesanais e sandálias. Das mais populares, porque as chiques são tão caras! Não é pão-durisse é liseira mesmo. E também um pouco (bastante) de cultura anti-consumista.

Mas acredito que quando eu for contratada (perceba o otimismo) por uma redação de TV, rádio, web ou redação de colégio, eu comece a gastar mais com umas roupas mais chiques. Enquanto isso, vou acessando bloguinhos de moda que gosto, achando várias coisas bonitas ao mesmo tempo em que me pergunto: Como assim a blusa foi duzentas pilas?

7 comentários:

L. Archilla disse...

tb sou econômica com roupa, embora goste de me vestir bem.

a merda é a empresa exigir roupa formal pra estagiário, pagando mixaria. será q eles pensam que estudante não come?

Sheryda Lopes disse...

rs!! Mulher, esse é meu estágio NÃO-REMUNERADO!! rs! Quer dizer, era, pois acabou na semana passada. Mas o pior é que como o negócio é em jornalismo eu entendo que precise de umas roupichas mais formais, sabe? Já no primeiro semestre mandei fazer dois ternos(que simplesmente odeio usar) por causa disso, pensando num estágio de TV. Agora esse negócio de mandar eu comprar roupa é a cara do meu pai, e isso me dá muita raiva. Porque eu acho que a gente sabe melhor quais são nossas necessidades, principalmente nesse caso em que ele está longe e não me vê contando dinheiro p almoçar.

maiza danniele disse...

Olá !! Gostei do post! Fala suas situações corriqueiras com simplicidade. Texto bom de ler, nada de enjoativo. Quando tiver tempo leio outros posts! Beijos

Sheryda Lopes disse...

Valeu!! Respondendo ao seu comentário com mais de um ano de atraso! Sorry! Tomara que vc tenha voltado mesmo...

Charlly! disse...

Noossa sher achei seu blog legal, vc tem futuro redije mto bem. Eu tbm estudo jornalismo e sei beeeem do q vc tá falando é dificil se vestir bem pagando um absurdo de mensalidade e ainda tendo outras despesas, ainda mais eu que sou bem economica com roupa adooro promoções e liquidas kkkk
bjssss

Jackeline disse...

olá, eu trabalho com telejornalismo,e entendo o que vc está dizendo neste post,mais quando gasta um pouco mais com sua aparência, investe em vc msma..E quanto ao dinheiro o Jornalista tem que se contentar em ser um pouco humilde financeiramente..´(se é que me entende!)..rsrrs mais é isso parabéns... Bjão!

uma quase jornalista disse...

Olá, meu nome é Mellany e estou no ultimo ano do ensino médio e desde o 1 ano eu pensei em cursar jornalismo,mas não sei em que área e gostaria que pudesse me ajudar,eu gosto de escrever mas não tenho tanta paciência pra ler. E eu tô muito confusa. s.o.s
ah e não tenho ideia para um titulo de blog e nem o assunto,acho que não me encaixo em jornalismo não é?