quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Saldo 2010 – Leitura

Tenho mania de listas de fim de ano, dessas de promessas para o ano que vem e retrospectivas do que está acabando. Me ajuda um pouco a fazer um levantamento das coisas que desejo realizar, no que agi bem, no que agi mal, etc. Olhando a do ano passado, percebi que só faltou mesmo postar um pouquinho mais por aqui.

E aí, resolvi publicar algumas listas deste ano aqui no blog, começando pelos livros que li. durante o ano. Fiquei agoniada porque são só 10, mas na verdade li bem mais que isso para a monografia. Só que resolvi não colocar, até porque para fazer trabalho científico não necessariamente precisamos ler tooooda a obra. Podemos usar apenas trechos mais relevantes ou um ou outro artigo, no caso das coletâneas. Mas com certeza li muito, e os livros abaixo foram mesmo com o intuito de relaxar (embora eu tenha acabado usando O Diário de Anne Frank no trabalho).

Algumas dos livros abaixo já li várias vezes, como é o caso do “Para Sempre Alice”, que com certeza foi uma das melhores obras contemporâneas que Potô e eu compramos. Uma emocionante história sobre Alice, uma mulher que descobre aos 50 anos de idade que sofre do mal de Alzheimer. Uma história linda, baseada em fatos reais e que me fez chorar horrores.

E abaixo, a lista completa:

1. Crepúsculo
2. Eclipse
3. Amanhecer
4. O Diário de Anne Frank
5. O Diabo veste Prada
6. Jornalismo Freelance – Empreendedorismo na comunicação
7. Ninguém é de ninguém
8. O retrato de Dorian Gray
9. Para sempre Alice
10. Harry Potter e a Pedra Filosofal

Segundo esta matéria do Estadão, uma pesquisa realizada em 2009 mostrou que o brasileiro lê, em média, 1,3 livros por ano. E você, quantos livros leu em 2010?

4 comentários:

Potô disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Potô disse...

Amor, seu texto ficou muito bom. Acho que temos uma média de leitura muito boa, mesmo lendo só 10 livros esse ano (no seu caso, eu li 8 livros esse ano).

Só mais uma coisinha, acho que o livro "Para Sempre Alice" não é uma história real, e sim uma ficção.

Te amo muitão.

Sheryda Lopes disse...

A história é uma ficção, porque a personagem "Alice" não existe realmente. Só que a autora do livro é especialista no Mal de Alzheimer e escreveu a obra baseado-se nas próprias experiências. Inclusive as informações a respeito da doença são reais e as instituições que ela cita também. :)

Tomara que no próximo ano nós possamos ler mais. Temos muitos livros novos.

Tb te amo! :)

ana cleia disse...

Desses todos aí eu só li O diário de Anne Frank. e vi os dois filmes sobre ele.