quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Vestidos de festa - negra de azul, Coco Chanel


Este aqui é um desenho a la capa-de-caderno-fofinho. O vestidinho é bem Cinderela e a bijuteria é como uma que estou querendo fazer para mim, só que a minha vai ser amarela.

Tenho me interessado muito por moda ultimamente, principalmente depois que comecei a fazer bijuterias. Filme de moda, revista de moda, site de moda, blog de moda... Enfim, tudo que tenha a ver com o assunto tem me atraído. Isso despertou também uma antiga vontade que às vezes reaparece, que é cursar estilismo ou pelo menos aprender a fazer minhas próprias roupas. Também despertou muita vontade de comprar roupas e acessórios, o que é um sério problema devido à atual conjuntura.
Mantenho meu alarme feminista ligado para combate ao consumismo e outras mazelas da indústria da moda. Mas também estou interessada na expressão que é possível através do vestuário e na importância de alguns estilistas da história quando se trata da libertação das mulheres. Coco Chanel, por exemplo, trabalhou para introduzir peças de roupas confortáveis no vestuário feminino, abolindo o espartilho e criando a bolsa a tiracolo, que deixava as mulheres com as mão livres. Foi ela quem introduziu o terno como peça de roupa feminina sendo que na época era usado apenas por homens. Inventora do clássico tailleur (blaser e saia), foi discriminada na época por tentar "se vestir como homem", mas ainda em vida foi aclamada como revolucionária na história da moda.
Vestuário antes de Coco Chanel (cena do filme Coco before Chanel).
Revolução (eu ia apagar o cigarro no photoshop rs!)


Cena do filme "Coco before Chanel"


Pena que hoje em dia a marca Chanel é sinonimo de status e de valores absurdos. Mais uma grande revolucionária que o capitalismo engoliu. Mas uma coisa é a estilista Chanel, e outra é a marca. Além do q, muitas de suas peças foram incorporadas de muitas formas por marcas populares e jovens artesãs (como eu), como o famoso e super em alta colar de pérolas (falsas) longo e de várias voltas, misturado ou não com correntes.


E estou muito ansiosa para ver o filme sobre ela, estrelando Audrey Tatou (Amélie Poulain) no papel principal. Espero que estréie este ano ainda.


Mas também não dá para ignorar que a moda criada por ela não era para mulheres gordas. A própria estilista era bem magra, e talvez a partir daí tenha se reforçado o padrão da beleza magra (antes alcançada a base de espartilho). Mas também não dá para negar o papel importante que ela teve na história, principalmente no que diz respeito à história das mulheres, que infelizmente ainda é escrita em paralelo com a história "oficial".

Fonte de algumas imagens e informações.

9 comentários:

Guto de Oliveira disse...

Oi Sheryda ... tudo bem ... muito bacana os seus vetores ... vc comentou sobre artes obscuras ... eu tbm gosto bastante ... principalmente ao estilo Tim Burton ou Neil Gaiman.

o lance dos posts temáticos funciona assim ... eu, junto com algumas amigas postamos todas as sextas posts relacionados com algum tema ... cada semana um sugere o tema ... é uma maneira de exercitarmos nossa criatividade e mantermos contato ... o tema dessa semana foi a letra da música Glory Box da banda Portshead sugerido pela ci do blog: http://push-ci.blogspot.com/ ... se quiser participar com a gente, será muito bem vinda

... parabéns pelo blog e pela simpatia :)

Sheryda Lopes disse...

Eu não conhecia a música e achei bem difícil pensar num desenho para ela. Mas vou tentar. Caso não consiga, gostaria de participar do próximo.

Adoro a arte do Tim Burton em Noiva Cadáver, mas francamente achei o filme muito chato. Quero ver "Alice", tô na expectativa de assistir.

Obrigada pelos elogios! Um abraço!

Cintia Yamane disse...

muito bem caprichado os seus posts, além de postar as ilustrações, vc traça um paralelo com vários assuntos interligados, bacana isso =)

Sheryda Lopes disse...

Nossa, obrigada! Que dia feliz para este blog!

Visitei o seu também, Cíntia! Seus desenhos são lindos!

Cintia Yamane disse...

Oi Sheryda, que ótimo que vai participar! Pode deixar que te aviso, já te adicionei no meu bloglist para não perdermos o contato e te linkar qdo fizermos os temáticos! =D

Candice Machado. disse...

Gente, tô até tímida de comentar aqui! Todo mundo falou tudo! Mas achei fantástico esse posto Coco Chanel! Tenho muito preconceito com marcas famosas mesmo, apesar de também gostar de moda. Fico feliz que você esteja pensando em ingressar na área, mas com um pensamento transgressor. Não transgressor de quem acha que deve ser sempre transgressor, mas de quem reflete e questiona com ponderação! Já quero saber mais sobre Coco Chanel!

Sheryda Lopes disse...

Que bom Candice, que vc se interessou! Desde já te convido para assistir ao filme comigo e o Potô e quem mais se interessar por moda. O filho disse que estréia dia 30 em Fortaleza, mas talvez a gente esteja sem dinheiro para ver na estréia (snif, snif)

L. Archilla disse...

eu tb adoro moda! claro q não consumo exageradamente, mesmo porque nem tenho dinheiro heheheh

mas gosto de procurar peças diferentes, estilosas... gosto de olhar gente q se veste bem tb...

Sheryda Lopes disse...

Eu também gosto de observar. Aliás tô ficando meio irritada comigo mesma, porque tudo que vou assistir fico reparando na roupa do povo.