terça-feira, 1 de março de 2011

Contra risonhos e gritadores


Não sou muito fã de lan houses. Quer dizer, a que tem perto da minha casa até que é bem tranqüila, e seu dono é gentil ao ponto de me devolver meu pen drive nas milhares de vezes em que o deixei conectado a uma das máquinas. Mas a que tem perto da casa do meu namorado, é um inferno. Sempre tem crianças ou adultos que vêm jogar Ragnarok e ficam gritando entre si. Ou adolescentes que vêm em grupo olhar as “fotinhas no orkut” e riem alto, fofocam e gritam bem ao meu lado. E como a Internet cai o tempo todo, não dá para ouvir Rádio Uol ou outro site de músicas. O que me sobra? Ouvir as amostras do Windows Media Player no último volume. As únicas duas amostras.

Quero escrever a crítica do filme Bruna Surfistinha, que assisti com o namorado ontem, mas aqui é completamente sem condições. Fica para depois.

Adianto que gostei muito do filme. Mas deixe para assistir daqui há algumas semanas, quando as salas deverão estar menos lotadas de figuras que gritam e riem alto durante cenas horríveis de quase-estupro. Vontade de jogar 1 litro de refrigerante na cabeça daqueles punheteiros doentes e sem noção. Como alguém ainda pode rir de certas coisas?

Sim, estou de mau humor. Mas ouvindo as mesmas duas músicas há 40min, quem não estaria?

2 comentários:

Ronald Luis disse...

Tenho pavor também de quem faz barulho no cinema... São idiotas que se acham os reis da cocada preta... Vc viu nos meus comentários que tive problemas na exibição de Bruna Surfistinha [http://renovoblog.blogspot.com/2011/03/filme-bruna-surfistinha.html], tive que sair da sala e pedir para concertarem a tela... Os gaiatos de plantão, ficaram zombando, achando que eu estava indo ao banheiro após ver a cena inicial... Minha esposa que havia ficado na sala, ouviu e ficou na dela... Pois se reclamarmos desses babacas, a situação piora...

Sheryda Lopes, Jornalista disse...

Pois é, e eles fazem questão de fazer comentários bem pesados e constrangedores. Acho que é uma galera que já vai com esse objetivo mesmo.

Obrigada pelo comentário!